image1

@SavageFiction

O Cronista dos Negros no Twitter

@SavageFiction

O Cronista dos Negros no Twitter

Entrevistas

Folha | Escritor recupera passagens esquecidas da história negra em rede social

image2

Em junho de 2018, o publicitário Ale Santos, 32, resolveu Twitter a história de Leopoldo 2º (1835-1909), rei da Bélgica, que patrocinou um genocídio com número estimado entre 8 e 10 milhões de pessoas no Congo, na virada do século 19 para o 20.

Leia na Folha de SP

Los Observadores | Denuncian trato discriminatorio de policías a población afrodescendiente en Brasil

image3

 

Segundo o escritor e ativista brasileira Ale Santos, os afrodescendentes são tratados de maneira discriminatória pela polícia daquele país.

"A característica da sociedade brasileira é negar que o racismo existe e pensar que todos são tratados com harmonia. 

Leia em Los Observadores

Entrevista para o Buzzfeed

image4

 Especialista em storytelling e autor de ficção, nos últimos dois meses  Ale deixou de lado a fantasia para mergulhar na história real do povo  negro no Twitter. O sucesso das narrativas já garantiu mais de 20 mil  seguidores e três trabalhos profissionais para o publicitário: artigos  para o site Muito Interessante e para o Intercept Brasil e o roteiro de  uma peça de teatro com temática negra 

Ler no Buzzfeed

Mas Será o Benedito? - Revista Piauí

image5

 A linguagem do Twitter contribuiu para  que Santos se tornasse um personagem influente da militância  antirracista no Brasil. Ele foi convidado para parcerias com o rapper  Edi Rock, do grupo Racionais MC’s, ; tornou-se colunista do  portal Vice Brasil, colaborador da revista Superinteressante e do portal The Intercept Brasil

Ler na Revista Piauí

Estadão | Uma conversa com o escritor que está usando o Twitter para difundir conhecimento histórico e combater o racismo

image6

 Quando comecei a trabalhar com storytelling, entendi que tudo  que a gente estuda é totalmente eurocêntrico, reproduz a visão do  colonizador sobre a história. Eu precisava de visões diferentes. 

Ler no Estadão

Participação no Documentário Negritudes Brasileiras

 O documentário visual "Negritudes Brasileiras", idealizado por  Nátaly Neri , nasce não só como uma  forma de dar continuidade ao debate racial brasileiro localizando-o no  tempo presente com a ascensão de novos conceitos como representatividade  e a crescente popularização da internet, mas também surge da demanda de  muitos seguidores do Afros e Afins que durante três anos de existência  do canal perguntaram identificação racial. 

Entrevista para o Conexão do Canal Futura

Maria Firmina dos Reis, Benedito Meia Légua e Chico da  Matilde, estes são negros que construíram o Brasil, mas que a sociedade  brasileira pouco conhece. Nesta edição, o Conexão resgata a memória  dessas pessoas. Venha conhece-los também!  Apresentação:  Karen de Souza 

Guia Históricamente Correto do Brasil

image7

Contextos das causas raciais em questões culturais, políticas e até do entretenimento de nosso país. Coluna Quinzenal

Os Heróis desconhecidos na escravidão

image8

Não foi só Zumbi. Líderes negros lutaram e libertaram escravos por  toda a América Latina muitos anos antes (e depois) de Palmares. 

Semanalmente no Muito Interessante

image9

Textos sobre cultura e conhecimento inusitado, trazendo um olhar descolonizado para a história do mundo

The Intercept Brasil - Colaboração

image10

Threads e Artigos esporádicos para um dos veículos investigativos mais conceituados da atualidade 

Entre em Contato

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Ale Santos @savagefiction